Audiência revela prisão "degradante" do soldado que vazou documentos ao WikiLeaks


Soldado está em péssimas
condições em prisão nos EUA
Redação, PortalIMPRENSA

"Na última terça-feira (27/11), o soldado Bradley Manning, suspeito de ser o informante de WikiLeaks pela Justiça americana, compareceu ao tribunal militar de Fort Meade, em Maryland, para uma audiência sobre o regime carcerário imposto a ele, informou a AFP.

Seu advogado, David Coombs, demonstrou a responsabilidade do governo americano no severo regime de isolamento imposto a Manning na prisão militar de Quantico, sob a falsa alegação de que corria risco de suicídio.

Segundo o ex-comandante da prisão, coronel Daniel Choike, as condições especiais impostas a Manning são devido a seus "pensamentos suicidas", detectados "constantemente" em um "procedimento coletivo cotidiano".

Choike admitiu ter recebido instruções sobre a "importância do caso" na chegada de Manning à prisão, em julho de 2010, diante do "risco de suicídio", da "gravidade das acusações" e da "cobertura substancial da mídia".

A defesa pediu a retirada de todas as acusações contra Manning, com base no artigo do código militar que proíbe "castigo ilegal antes do julgamento".

"Ficou detido em isolamento durante nove meses em condições que o enviado da ONU qualificou de desumanas e degradantes", acrescentou Coombs.”
Via Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Comentários: